sexta-feira, 5 de março de 2010

Fora de rumo


O mundo derrete
o mundo alaga
O mundo treme.

Criança chorando,
no meio dos destroços.
Os pés descalços
as mãos feridas.

Chora menino
sua triste vida.
Navega no lodo infinito
seu barquinho fora de rumo.

Lamenta menino,
sua abominável vida.
Derreta sua dor,rasgue seu corpo
mostre o seu terror.

Menino bonito
mesmo com a pele suja.
No ébano noturno
vagando rumo ao nada.

Fala menino,
da ausência eterna dos seus pais.
A sua casa tombada.
O beijo não trocado com a namorada.

Grita menino,
propague a sua dor.
Pode dizer:
-Inútil e abominável vida,quem te disse que te ter é um prazer?

Um comentário:

Livinha disse...

Dores parece querer nos ver chorar, essa dores tem porquês,
não vale a pena desistir,
Ela passará...

Lindo poema minha amiga
como lindo seja teu fim de semana
junto a tua Lívia, teu encanto der menina

Bjss
Livinha